Este site usa cookies.

Se você continuar a navegar ou você pressionar OK, vamos supor que você concorda com nossa política de cookies.
Se você quiser, pode conferir aqui: Saiba mais.

Eu aceito
Saltar para conteúdo Detalle Logo Grupo Norte
Pesquisa Espa�o Privado Menu
Logo

FACTOS E RESULTADOS

  • Fundada em 1972.
  • Presença em Espanha, Chile, Peru e Portugal.
  • 12.750 empregados e mais de 500 pessoas com deficiência.
  • Volume de negócios de 2016: € 204 Milhões
  • Mais de 1.700 clientes
  • Áreas: Soluções de RH, Facility Services, Outsourcing, Serviços Sociais, Operação de Emprego para Pessoas com Deficiência e Corretagem de Seguros.
  • Todas as empresas certificadas com a Norma de Empresa SGE 21, primeira gestão do sistema de responsabilidade social europeu.
  • Mais de uma dúzia de prêmios nacionais e internacionais para a gestão de Responsabilidade Social.
Logo

GRUPO NORTE pede um grande pacto social para promover uma indústria de serviços que é baseada no conhecimento, e não nos cortes de salários

18 | 04 | 17

  • O presidente, José Rolando Álvarez, exige uma reflexão conjunta onde as práticas fraudulentas não têm lugar na cultura corporativa.
  • Grupo Norte completa a sua mudança de modelo com um Plano Estratégico que no primeiro trimestre de 2017 permitiu quadruplicar as novas vendas e triplicar a margem.
  • A empresa, que permanece acima dos 12.000 funcionários, fechou 2016 com vendas consolidadas de 204 milhões de euros e espera chegar a 300 milhões em 2019.
  • Destaca a evolução da divisão de Soluções de RH, que totalizou 73 milhões de euros, 4% a mais que no ano anterior.

O Presidente do Grupo Norte, José Rolando Álvarez, pediu hoje um grande pacto social para acabar com as más práticas que estão ocorrendo no setor multisserviço "e isso afeta as empresas que estamos tentando fazer as coisas da maneira certa e como resultado a milhares de trabalhadores".

Alvarez lembrou que os tribunais já cancelou mais de cinquenta acordos de empresa assinados sem representação real dos trabalhadores e considera que é hora de promover um acordo comum para estabelecer um crescimento harmonioso como uma garantia de estabilidade"onde os salários estejam ligados à produtividade, e que envolve um antídoto contra a desigualdade". Precisamos, disse ele, "um grande pacto social para evitar que as práticas fraudulentas tenham lugar na cultura empresarial".


 

O presidente do Grupo Norte fez uma chamada à reflexão; em relação aos cliente para que todos, sem exceção, promovamos um novo modelo baseado no conhecimento e valor, em que a competitividade é alcançada através do emprego produtivo e não à custa dos salários e em segundo lugar, as administrações para o fim do monopólio do preço como o único critério para a atribuição do benefício da qualidade dos serviços públicos que os cidadãos merecem”. 

Grupo Norte tem vindo a resolver esta situação, aplicando-se como princípio geral, os acordos sectoriais acordados com os representantes dos trabalhadores. José Rolando Álvarez reconheceu hoje que este curso de ação significou sacrificar algumas vendas não poderia competir em custos iguais para certos contratos.

“Nem queríamos ou que nunca vai se envolver em tais práticas, mesmo sabendo que no curto prazo estão afetando a nossa linha de fundo, afirmou, em seguida, para acrescentar que “entende-se que a nova indústria de serviços, pelo menos tal como a entendemos no Grupo Norte, não é ligada a salários não produtivos, mas o compromisso conjunto da empresa e os trabalhadores em um projeto comum. Não um que ele fala em termos de custo, mas de valor. E, certamente, não aquele que recorre à lei de fraude para ser mais competitivo, mas a transparência e prestação de contas”.

 

PLANO ESTRATÉGICO 2017-2019

Este é o contexto que tem servido José Rolando Álvarez para explicar a mudança de paradigma que levou a empresa ao longo dos últimos três anos e resultou no Plano Estratégico 2017-2019. O cumprimento dos 22 objectivos estabelecidos no documento, irá posicionar Grupo do Norte como uma empresa maior, mais relevante e mais rentável, com vendas superior a 300 milhões de euros, mas acima de tudo será um antes e um depois na forma de trabalhar no setor. Grupo Norte acredita em uma nova indústria de serviços que permitem trazer mais valor para os clientes através de três alavancas principais: pessoas, processos e tecnologia, explicou José Rolando Álvarez, que acredita que “se chegarmos entre todos expandir esta cultura corporativa, teremos empresas capazes de competir em qualquer lugar do mundo e trabalhadores sem concorrência, melhor treinados e, porque não dizer, com melhores salários”.

Os resultados para mudanças nesses últimos três anos estão começando a dar frutos. Na verdade, Grupo Norte encerrou o primeiro trimestre de 2017 quadruplicando as novas vendas e triplicar margem bruta associada aos contratos em comparação com o mesmo período do ano passado, que é superado até mesmo as melhores previsões. “Estamos convencidos de que o melhor ainda está para vir, porque nossos clientes estão recebendo a nova mensagem que estamos nos movendo e, embora estejamos conscientes de que esta é uma corrida distância, sabemos que temos escolhido a direção certa e agora é hora de pegar velocidade, defendeu José Rolando Álvarez.

 

RESULTADOS 2016

O ano de 2016, o último da transição para o novo modelo, coloca a Grupo Norte nos 204 milhões de euros em vendas, representando um crescimento de 1% e um lucro consolidado antes de impostos de 0,4 milhão. “Estes números são aceitáveis, especialmente por causa do esforço que teve de fazer em pessoas e tecnologia, e que defina a linha de base para os próximos anos, recontagens Álvarez. Menção especial a evolução da Divisão de Soluções de Recursos Humanos (selecção, formação e trabalho temporário), que já atinge 73 milhões de euros (4% a mais que no ano passado), classificando como a sexta empresa de trabalho temporário pelo volume de negócios em Espanha.

Também evolui a melhor ritmo os negócios na América Latina, especialmente no Chile, onde as vendas totalizaram 11,6 milhões de euros, um aumento de 25% sobre o ano anterior. A empresa espera que o crescimento acima de dois dígitos no Chile este ano, depois de vencer contratos importantes, tais como a limpeza Aeroporto Internacional Arturo Merino Benítez em Santiago ou a segurança nos centros comerciais proeminentes da capital. Em contrapartida, Vigilância e Segurança, que são um setor em plena reestruturação, continua a prejudicar os resultados do Grupo, com vendas de 11 milhões, 2% abaixo do ano anterior.

Para enfatizar, um ano mais , a força da base de clientes continua a crescer e diversificar.O Grupo continua a manter as taxas de inadimplência irrelevantes e mantém um excelente prazo médio de recebimento, como resultado das políticas de gestão rigorosa e controle interno.

 

RESPONSABILIDADE SOCIAL: PARA AS PESSOAS

José Rolando Álvarez queria terminar seu discurso de hoje agradecendo aos mais de 12.000 profissionais de Grupo Norte o seu compromisso diário “para liderar a nova indústria de serviços ye tem também enfatizou que o esforço nos últimos anos tem sido a manutenção e promoção da Responsabilidade Social, afirmando que “não há melhor política de Responsabilidade Social que a defesa de um Plano Estratégico que defende as pessoas e as regras do jogo”.

As políticas de Responsabilidade Social também visam oferecer oportunidades de emprego para as pessoas em risco de exclusão social e, nesse sentido, há mais de 500 pessoas com deficiência que trabalham no Grupo Norte. Empresa-alvo também promove a canalizar sua ação social da Fundación Grupo Norte, que continua crescendo, desenvolvimento de programas próprios relacionados a pessoas com deficiência, vítimas de violência doméstica, Banco de Alimentos e iniciativas financeiramente apoiando de outras organizações que também trabalham para mudar a realidade das pessoas que precisam de uma oportunidade.

  • Compartir en Facebook
  • Compartir en Linkedin
  • Compartir en Google+